sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

9 motivos para ir à Campus Party (mesmo sem gostar de tecnologia)

Campus Party 2017: expectativa de 80 mil pessoas (Créditos: Gabriel Maciel/Cintia Souza/Raphael Martinelli)


A mega feira Campus Party atrai milhares de fanáticos por tecnologia de todos os cantos do Brasil. Pode não parecer, mas o evento enche olhos até de quem não é expert no assunto diante dos jogos, campeonatos e inovações. 



Para quem ainda não adquiriu o ticket de entrada, há ingressos disponíveis ao valor de 240 reais que valem para todos os dias do evento realizado até domingo (5) no Pavilhão de Exposições do Anhembi. Veja dez atividades que valem a ida até a feira considerada a maior do Brasil:
1. Corrida de drones
Na sexta (3), rolará a fase classificatória do Primeiro Campeonato de Drones. Serão 32 pilotos, entre eles dez de fora de São Paulo e duas mulheres, uma do México e outra de Minas Gerais. Aqueles que conseguirem os melhores tempos em três voltas no circuito de nove obstáculos competem novamente no sábado (4). Cada disputa é feita entre dois pilotos e dura cerca de dez minutos.
2. Combate de robôs
Batalha de robôs: duas faculdades se enfrentam
Batalha de robôs: duas faculdades se enfrentam (Créditos: Gabriel Maciel/Cintia Souza/Raphael Martinelli)
Todos os dias por volta das 13 horas duas faculdades de tecnologia se enfrentam na arena da Submarino. A briga de robôs tem duração máxima de três minutos, mas pode terminar antes, caso um dos aparelhos destrua o outro. A atração reúne um grande público, além das torcidas de cada equipe que vibram na pequena arquibancada.
3. Simuladores
Na área externa da feira, ficam dez simuladores à disposição do público que quer se aventurar em um voo de asa delta, em um carrinho de rolimã ou até dirigindo um caça em plena 2ª Guerra Mundial. Alguns trazem óculos de realidade virtual, caso do simulador de asa delta, no qual o jogador consegue visualizar o cenário em 360 graus, mexendo o pescoço enquanto é carregado por fios fora do chão.
4. Espaço de start-ups
Start-ups: espaço de inovação (Créditos: Gabriel Maciel/Cintia Souza/Raphael Martinelli)


fonte: veja

0 comentários:

Postar um comentário