domingo, 23 de setembro de 2018

Continua o imbróglio sobre a sonhada ampliação do aeroporto de Barreiras


Na Região Oeste da Bahia, centenas de pessoas dependem das condições de acessibilidade e fluidez dos deslocamentos que se estabelecem através de caminhos terrestres e aéreos, com os mais variados motivos e interesses, seja de negócios, transporte de riquezas, ou outro motivo qualquer. Fundamental para o desenvolvimento econômico da região, o investimento no setor aeroviário de Barreiras deveria estar na agenda do dia dos governantes, contudo o que se vê ainda são promessas e mais promessas que passam longe de se concretizarem.

Diante desta preocupação dos barreirenses, a reportagem do Falabarreiras procurou a Agerba e segunda a Coordenadora de comunicação do órgão, o terminal de passageiros do aeroporto de Barreiras está passando por ampliação. Investimentos no pátio e pista de pouso serão realizados de acordo com a demanda e que o aeroporto já dispõe de alguns itens de instrumentalização. A implantação de itens como PAPI e IPTA está passando por estudos de viabilidade.

Procurado pela reportagem, o prefeito Zito Barbosa falou sobre essa problemática. “Antes mesmo de tomar posse eu cobrei do governador e ele me disse que foi feito um planejamento por parte do Governo Federal, que na época era o governo Dilma, de ampliação de vários aeroportos inclusive o de Barreiras e outro pelo o Brasil afora. O projeto ficou a cargo do Banco do Brasil, na época o governador Rui Costa era secretário de Jaques Wagner e disse para a presidente Dilma que esse projeto não daria certo ser tocado pelo Banco do Brasil. O Estado fez um projeto paralelo e mandou licitar, segundo o governador, o governo federal não aceitou porque teria que obedecer ao projeto juntamente com o Banco do Brasil. O processo emperrou, mas o governador disse que ia fazer um esforço na resolução desse problema, mas o governo Dilma acabou caindo e o projeto continua esquecido”, Afirmou o prefeito.

Há muito tempo que os aeroportos deixaram de ser um centro operador de aviões para serem um fator de desenvolvimento econômico absolutamente relevante, para não dizer indispensável, e por conta desses empecilhos, a região continua carecendo dessa importante ferramenta de avanço e crescimento.


Fonte: Fala Barreiras

0 comentários:

Postar um comentário